fbpx

Insurtech: mais de duas a cada mês são criadas no Brasil

Recente levantamento realizado pela Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico, apresentado no Comitê de Insurtechs, revela que o nosso país já abriga 40 insurtechs. Mas, o mais impressionante é que em apenas seis meses 15 novas empresas desse segmento foram abertas.

A mídia explorou esse assunto em meios digitais, blogs e veículos segmentados. Esse movimento mostra o quanto as seguradoras buscam alternativas inteligentes para gerar experiências inovadoras aos seus usuários e, por outro lado, o anseio do mercado a essas soluções.

A indústria do seguro permaneceu igual por décadas. O estilo de vida das pessoas mudou e a forma como as grandes cidades influenciaram a segurança das empresas, dos profissionais e das famílias também negligenciou as relações entre as seguradoras e os seus diferentes consumidores.

As insurtechs modernizam as seguradoras

A promessa da tecnologia é desburocratizar a forma como os canais de distribuição se relacionam com as seguradoras e com os seus diversos clientes, facilitando os processos desde a análise de perfis até as renovações. É claro que o uso do seguro também passou por uma verdadeira revolução de inteligência artificial, gerando experiências exclusivas aos seus usuários. Os sinistros, quando ocorrem, dispõem de ferramentas mais amigáveis também.

Por outro lado, as companhias de seguro são capazes de conhecer profundamente seus clientes e seus respectivos estilos de vida. Isso gera um novo conhecimento de como proteger as pessoas nos ambientes onde elas estão inseridas.

Inteligência artificial: mais sustentabilidade para o meio ambiente de seguros

Cada insurtech vem com uma missão inovadora, com propostas inteligentes, mas com objetivo comum: facilitar a vida das pessoas que estão preocupadas com proteção.

  • Para os consumidores, as ferramentas digitais promovem a contratação do seguro de forma segura e mais racional (menor custo) pela internet;
  • Para as seguradoras, as insurtechs motivam a atração de novos clientes pela experiência promovida. O ganho com a desburocratização é enorme e representa muita economia aos cofres das companhias;
  • Para os canais de distribuição de seguros, a internet das coisas atrai mais startups com ideias inovadoras que facilitam o dia a dia dos corretores, pois fazem uso de aplicativos, conteúdos e bases de cálculos dinâmicas e atualizadas, onde em poucos cliques, cotações aprofundadas são realizadas frente à frente com os clientes para seguros saúde, seguros vida e acidentes pessoais, seguros auto e até previdência privada.

Grupos de Investidores de olho nas insurtechs

Todo esse processo de modernização digital não atrai apenas a atenção das seguradoras. Grandes grupos de investidores estão de olho nesse movimento que cumpre o seu papel de retorno rápido, pois já tem demandas garantidas, diferente de startaups de outros setores onde o risco de maturação de mercado é muito maior e o prazo mais longo.

A Ô Insurance Group promove essa experiência ao mercado segurador e às pessoas. Criada um pouco mais de um ano, com ferramentas digitais inovadoras para todas as áreas do seguro, a Ô promove engajamento entre todos os canais: seguradoras, consultorias de benefícios, corretores, empresas e beneficiários.

Post a Comment