Insurtechs e seguradoras só precisam falar a mesma língua

A recente edição do WIR 2017 revelou que o setor de seguros está perto da sua maior transformação

Nunca houve tanto movimento tecnológico em prol do mercado de seguros quanto nos últimos dois anos. São inúmeras oportunidades, com os mais variados objetivos e soluções, capazes de inovar completamente o setor. As tendências digitais propostas por dezenas de insurtechs, nacionais e internacionais, nos levam a um novo cenário em seguros. Mas, o altíssimo investimento em tecnologia realizado pelas seguradoras deve sair do campo das ideias e ser efetivamente aplicado para não sofrer o risco da perda de foco das soluções propostas.

WIR 2017: os resultados da pesquisa do mercado de seguros

A recente edição do World Insurance Report (WIR), pesquisa realizada em parceria entre a Capgemini e a Efma (consultorias internacionais especialistas em tecnologia e outsourcing), revelou que o setor de seguros está perto da sua maior transformação e que a tecnologia será a grande protagonista em mudar cada aspecto do negócio. A pesquisa ouviu mais de oito mil pessoas pelo mundo e revelou dados bem interessantes:

  • 31,4% confiam nas insurtechs (conectadas a alguma marca de sucesso ou independentes) e afirmam que trazem benefícios como melhor custo e eficiência nos serviços prestados;
  • 45,9% dos entrevistados se mantêm fiéis às seguradoras por questões como segurança e proteção contra fraudes;
  • 43,7% reconhecem o valor de uma marca construída ao longo do tempo.

Já, entre os 100 executivos entrevistados, representantes das principais seguradoras do mundo, o resultado foi o seguinte:

  • 75% afirmam que as soluções propostas pelas insurtechs colaboram efetivamente para um melhor atendimento aos seus clientes;
  • 52,7% reconhece que a parceria com as insurtechs pode gerar soluções muito mais personalizadas aos seus consumidores.

Em resumo, podemos notar que a verdadeira mudança do setor de seguros está bem próxima, mas ainda não aconteceu. A tecnologia mudará a dinâmica desse mercado, como já ressaltamos em outros artigos. Não podemos esquecer a influência das insurtechs diante das necessidades da Geração Y, onde a agilidade, a mobilidade e a personalização são os seus maiores atributos de aderência e fidelização.

Visão de futuro: seguradoras e Insurtechs

As seguradoras, mais do que nunca, precisam desenvolver estratégias equilibradas, em sintonia com as insurtechs, capazes de intensificar seus investimentos em inovação, sem desfocarem. Existem ainda visões bem diferentes entre as seguradoras tradicionais e as insurtechs que precisam ser alinhadas. O trabalho colaborativo entre os dois setores deve acontecer para que ambos consigam entregar ao mercado tudo o que os consumidores de diferentes gerações pleiteiam, entre a segurança do tradicional e a modernidade do digital.

As seguradoras devem investir na transformação digital e em linguagens mais colaborativas, que suportem aplicativos móveis, redes sociais e meios digitais inovadores para conquistarem gerações emergentes de consumidores. Dessa forma, serão mais dinâmicas e ágeis e poderão enfrentar as novas condições e mudanças do mercado.

O segmento de seguros está fazendo o seu movimento. Quando implantamos a Ô Digital Solutions (empresa da Ô Insurance Group), tive o firme propósito de tornar possível a geração de ricas experiências no universo de seguros, com engajamento total dos seus usuários B2B e B2C, através da transformação digital.

Estamos vivenciando um bom e novo tempo e, apesar dos pesares da nossa economia nacional, fazemos efetivamente a nossa parte.

José Carlos Macedo
Presidente da Forest Holding & CEO da Ô Insurance Group

Post a Comment