Julho Amarelo: a prevenção ainda é o melhor caminho

Julho chega e traz a campanha do Julho Amarelo, que visa conscientizar a população e criar o combate contra as hepatites virais, um grave problema de saúde pública no Brasil e que, dependendo do caso, pode levar ao câncer no fígado.

Responsáveis por cerca de 1,4 milhão de óbitos anualmente no mundo, segundo o Boletim Epidemiológico do Ministério da Saúde, as hepatites virais apresentam um grande desafio à saúde pública. Apesar de vacinas e tratamentos disponibilizados em todo o território nacional, nota-se que investir na prevenção é ainda o melhor caminho para amenizar suas consequências.

Julho Amarelo: a campanha contra as hepatites virais

Julho é o mês escolhido para a campanha de conscientização contra as hepatites virais. A data se dá por ser comemorado no dia 28 de julho o Dia Mundial de Luta Contra Hepatites. A doença é uma inflamação no fígado e pode ser causada por vírus, remédios, álcool e outras drogas. Muitas vezes não apresenta sintomas, mas podem ocorrer cansaço, tontura, enjoo e olhos amarelados. Ela engloba vários tipos, mas há 5 principais:

A hepatite A tem o maior número de casos e se associa a condições de saneamento básico e higiene, tendendo a ser uma infecção mais leve e dispondo de vacinas.

Na hepatite B, o contágio geralmente é por sangue, contato sexual ou amamentação. Previne-se com vacinas e uso de preservativos.

A hepatite C é considerada hoje a maior epidemia da humanidade, sendo 5 vezes superior a AIDS/HIV. A forma mais comum de contágio é pelo sangue. É ainda a principal causa de transplante de fígado. Pode levar a câncer, cirrose e óbito. Não possui vacina, mas o SUS oferece tratamento. Se diagnosticado no início, tem altas chances de cura.

A hepatite D é muitas vezes encontrada em pessoas que já são portadoras do vírus HIV. Atua em conjunto com o vírus da hepatite B. A contaminação se dá pelo sangue ou relações sexuais desprotegidas. A prevenção é pela vacina e uso de preservativos.

A hepatite E se transmite por água e alimentos contaminados. É considerada do tipo branda, mas deve haver atenção especial se a mulher estiver grávida. Ainda não existe vacina.

O intuito da campanha, que inclusive já se tornou um projeto de Lei na Câmara dos Deputados, é que a prevenção se torne um costume, para que não se chegue ao estágio mais evoluído, com a doença avançada. O referido projeto alerta que 3 milhões de brasileiros estão atualmente contaminados com algum tipo de hepatite. Por isso, ações como compartilhar informações , disponibilizar testes gratuitos para a detecção dos vírus e distribuir vacinas costumam ser implementadas.

As hepatites virais costumam ser doenças silenciosas e graves. Porém, ter um diagnóstico precoce aumenta as chances de sucesso no tratamento. E essas campanhas de saúde são ótimas maneiras de comunicar a promoção da saúde na população.

A saúde é um dos bens mais preciosos do ser humano. Apesar de a prevenção nem sempre ser um hábito de muitas pessoas, que só buscam uma atitude quando a doença aparece, ela precisa ser incentivada para que o modo de agir de todos seja mudado.

Prevenir-se é sempre o meio mais eficiente para se buscar saúde e bem-estar. Contar com uma consultoria de benefícios que trata da saúde preventivamente, para você, sua família e sua empresa, como a Ô. Benefits, é ter a importante atitude de promover esse caminho.

Post a Comment