fbpx

Junho Vermelho e importância do RH

A campanha “Junho Vermelho”, com o Movimento “eu dou sangue”, objetiva conscientizar as pessoas sobre a importância de doar sangue. Segundo dados do Ministério da Saúde, nos meses de inverno no Brasil, as doações ficam abaixo do esperado, o que preocupa os bancos de sangue.

Uma empresa que tenha um RH que incentive essa boa prática, além de ajudar a salvar vidas, constrói um comportamento mais humano entre os seus membros, auxiliando, assim, a criar uma cultura organizacional mais cooperativa.

Junho Vermelho e o dia mundial do doador de sangue

Em 14 de junho é comemorado o dia mundial do doador de sangue. A data foi criada pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e escolhida como uma homenagem a Karl Landsteiner (4 de junho de 1868 – 26 de junho de 1943), um imunologista austríaco que descobriu o fator Rh e diferenças entre os diversos tipos sanguíneos.

A campanha “Junho Vermelho” é uma ação com o intuito de que as pessoas percebam o quão importante é doar sangue para ajudar quem precisa. Além da frequente baixa estatística de doadores nessa época do ano, a greve dos caminhoneiros comprometeu ainda mais o estoque.

Uma das criadoras dessa ação, Diana Berezin, realça que o Movimento surgiu “para alertar os brasileiros de que sangue não se compra, não se fabrica, e que qualquer pessoa a qualquer momento pode precisar dele”.

Diversas empresas pelo Brasil já estão aderindo à campanha e incentivando os seus funcionários a participarem da causa.

O papel do RH nessas ações

Uma empresa que motiva seus trabalhadores a participarem de causas sociais tem funcionários mais conscientes de atos humanitários e, em consequência, uma cultura organizacional mais cooperativa.

É importante que o RH trabalhe essa conscientização utilizando alguns meios como palestras, mensagens encaminhadas por e-mail ou até cartazes espalhados pela empresa. Fazer algum tipo de reconhecimento do funcionário que adere ao Movimento ou liberá-lo mais cedo para que ele consiga realizar a ação social são boas práticas também.

O regime trabalhista CLT dá direito à folga de 1 dia ao trabalhador que faz doação de sangue. Esse dia conta como trabalhado, não podendo ser descontadas as horas nem o salário. Servidores públicos e militares também têm direito à folga e seguem outra legislação específica. O RH pode orientar os colaboradores quanto a isso, pois nem todos sabem de seus direitos.

O RH hoje deve ter função mais estratégica. Não agir apenas por reação, quando se precisa dele. Mas ter a iniciativa de implementar as políticas ofereçam possibilidade de ajudar a organização a progredir.

Pessoas que sentem que fazem a diferença e percebem a importância de suas condutas, por exemplo, tendem a ser funcionários mais felizes no trabalho, colaborando, assim, para o bom desempenho das equipes e da organização.

Onde doar

É válido, antes, se informar sobre quais pessoas não podem fazer doações e avisar antes da coleta sobre os medicamentos em uso, para verificar se há proibições.

Para maiores informações, consulte o site http://www.eudousangue.com.br/onde-doar/ e veja o melhor local para que os funcionários da sua empresa possam doar sangue e participar desse importante movimento.

Post a Comment