Propósito de marca: será que a sua empresa tem?

O propósito de marca foi, pelo segundo ano consecutivo, um dos temas mais comentados nas palestras do NRF Retail´s Big Show, em Nova Iorque. O evento é conhecido por ser um dos maiores do mundo para o varejo e reúne, anualmente, cerca de 36.500 profissionais de mais de 90 países. Os assuntos discutidos envolvem tecnologias de última geração e ideias sobre o mundo das vendas.

Sendo assim, não é difícil perceber o quanto essa questão tende a ser considerada cada vez mais importante para as empresas. 

O conceito do propósito de marca

Ter um propósito é algo muito mais profundo do que apenas ter objetivos. Uma empresa pode ter um objetivo de dobrar as vendas, aumentar o faturamento, conseguir mais autoridade no mercado, atingir o sucesso. Mas, no fundo, não é isso o que todas querem? O que, então, diferencia uma da outra?

Para começar, todos esses planos estão focados apenas em ganhos para o próprio negócio. Mas o que a marca tem a oferecer a seus consumidores não está demonstrado em nenhum lugar. É a partir da definição do porquê ela atua, que o propósito é definido. 

O propósito é, então, o valor que a marca entrega, é a razão de ela existir, é o que a torna perene. E é a partir do momento em que ela apresenta um sentido para o consumo, que ela vai ganhando destaque. 

Por exemplo, a Warby Parker foi criada com o intuito de tornar mais acessíveis os óculos de grau para as pessoas. Já a Best Buy tem como propósito não apenas vender produtos tecnológicos, mas sim ajudar a melhorar a vida das pessoas por meio deles. Um dos seus programas é dar treinamento e mentoria para que adolescentes de bairros mais pobres possam ter mais oportunidades. São esses detalhes que tornam uma empresa mais especial aos clientes.

Mas e o lucro? A boa notícia é que o lucro vem como consequência das marcas que definem bons propósitos para si. Como salientou Hubert Joly, CEO da Best Buy, “você precisa ter lucro para se manter nos negócios, mas o propósito deve contribuir com os clientes, empregados, acionistas e comunidades onde atuamos”. 

O propósito de marca e o público

Grande parte do varejo ainda se foca na Geração X, formada pelos nascidos entre 1960 e 1979, que privilegiam status e exclusividade. No entanto, a SAP divulgou em uma pesquisa que 91% dos consumidores estão dispostos a trocar de marca por outra que tenha preços e qualidades similares, mas que apresente mais propósitos.

Parte desse interesse é influenciado pelas novas gerações no mercado: millenials e gen Z. Enquanto os primeiros são questionadores e preferem a experiência de compra a possuir produtos claros, os segundos são muito focados nos valores que a empresa segue. Uma pesquisa da BOX 1824 concluiu que 53% desses novos consumidores lutam por alguma causa e 64% têm o desejo de mudar o mundo.

Definir um propósito de marca é muito mais que importante, é questão de sobrevivência, principalmente se você for pensar na geração de clientes em um futuro bem próximo. Quando isso acontece, sua empresa deixa de apenas acumular fregueses e passa a construir uma comunidade de pessoas com valores e pensamentos semelhantes, o que torna tudo muito mais poderoso.

Post a Comment